MercadoPago já pode ser usado fora do MercadoLivre

Com o tão esperado fim do contrato de exclusividade entre Visanet (hoje Cielo) e a VISA, diversos novos players entrarão no mercado. O banco Santander, por exemplo, já anunciou sua saída da Cielo e parceria com a GetNet para realizar o processamento de transações de todas as bandeiras. Eles estão incluindo no pacote diversos serviços agregados, como recarga de cartões telefônicos. O Banco do Brasil e o Bradesco (grandes acionistas da Cielo) criaram uma nova empresa para lançar a bandeira Elo e concorrer com as gigantes VISA, Mastercard e American Express. Excelente, quanto mais concorrência, melhor para os consumidores e melhor para os comerciantes.

A internet ainda tem espaços enormes a serem explorados no Brasil pela indústria de meios de pagamentos. No meu ver, nenhuma das empresas brasileiras ofereceu até o momento um serviço matador e/ou de baixo custo. O PayPal já pode ser usado no Brasil, em Reais. No entanto, como sua sede é em Cingapura, incidem diversos impostos que aumentam, e muito, os custos da transação.

Seguindo o modelo já implantado em outro países, agora o MercadoPago pode ser usado para vendas em outros sites, fora do MercadoLivre. Nossa empresa já fez centenas de transações com sucesso no MercadoPago, sendo um processo relativamente tranquilo. No entanto, o custo continuará sendo um problema.

No novo modelo proposto, eles descontam 4,99% do valor da transação no repasse ao vendedor. Assim, um produto que sairia por R$ 1.000,00 no boleto, por exemplo, seria enviado ao MercadoPago por R$ 1.052,52. Este valor majorado corresponde a quanto o comprador deverá pagar ao MercadoPago para que, após aplicação da taxa de desconto, os mesmos R$ 1.000,00 sejam recebidos pelo vendedor. Isso sem levar em consideração o ICMS, PIS e COFINS que serão pagos a mais pelo vendedor.

Vantagens do MercadoPago (em relação ao processamento direto com a Cielo, Redecard ou outra): o dinheiro é liberado assim que o cliente recebe a mercadoria, e não 31 dias depois; a prevenção de fraude e seus custos são terceirizados; aceitam várias bandeiras de cartão, sendo mais fácil de implantar; parcelamento facilitado para o cliente em seu cartão de crédito; custos da venda parcelada são cobrados pelo MercadoPago direto do cliente, não gerando assim uma carga tributária ainda maior.

Desvantagens do MercadoPago: custo maior; não é uma instituição financeira nem tem o respaldo de uma; C.E.T. (Custo Efetivo Total) do parcelamento não fica claro para o cliente e não tem muita lógica (veja tabela abaixo); só pode ser usado por quem tem conta no MercadoPago/MercadoLivre (embora já sejam mais de 40 milhões no Brasil); mesmo com o aumento da concorrência, as taxas não serão negociáveis como o são no relacionamento direto com as operadoras.

Exemplo:

Custo do produto a vista no boleto bancário direto com o vendedor: R$ 1.000,00
Taxa de desconto: 4,99%
Valor a ser repassado para pagamento "a vista" no MercadoPago: R$ 1.052,52
Opções oferecidas para o comprador pagar em seu cartão de crédito:

Parcelas Acréscimo
MercadoPago
Valor Parcela Total C.E.T.
ao mês
sobre
R$ 1.000,00
C.E.T.
ao ano
1 0% 1.052,52 1.052,52 5,26% 84,83%
3 9,99% 385,89 1.157,67 7,69% 143,37%
6 13,99% 199,96 1.199,77 5,47% 89,38%
9 14,99% 134,48 1.210,29 4,00% 60,06%
12 17,99% 103,49 1.241,87 3,50% 51,12%
15 22,99% 86,30 1.294,50 3,41% 49,62%
18 31,99% 77,18 1.389,22 3,72% 51,12%

De fato, o produto ficou muito parecido com o PagSeguro e outros já disponíveis. Compare a tabela acima com a tabela abaixo que contém os valores da mesma modalidade com o PagSeguro, considerando uma taxa de desconto de 6,4% (pode baixar até 5,4% dependendo do volume mensal).

 

Parcelas Valor Parcela Total C.E.T.
ao mês
sobre
R$ 1.000,00
C.E.T.
ao ano
1 1.068,38 1.068,38 6,84% 121,15%
3 370,41 1.111,23 5,46% 89,36%
6 190,67 1.144,02 3,99% 59,83%
9 130,83 1.177,47 3,40% 49,33%
12 100,96 1.211,52 3,08% 43,96%

O MercadoPago, do jeito que está, só leva vantagem no pagamento em 1 parcela. No PagSeguro, como o juros sobre o valor inicial é de 1,99% ao mês, quanto mais parcelas, mais diluído fica o custo inicial.

blog comments powered by Disqus