Pague com cartão de crédito e ganhe desconto do boleto mesmo assim!

Com todo o movimento que está acontecendo no mercado de cartões de crédito, mais e mais pessoas passarão a usar o "dinheiro de plástico". Estima-se que o mercado simplesmente dobre até 2014. Sem citar todas as facilidades e benefícios que um cartão de crédito oferece, ele tem (pelo menos) um lado negro: aumentar o custo final dos produtos e o valor dos impostos que incidem sobre a venda.

As operadoras do VISA e Mastercard cobram taxas de desconto do comerciante (atualmente apenas Visanet e Redecard, com Santander a caminho). Esta taxa incide diretamente sobre o valor da transação. Para uma venda de R$ 100 e taxa de desconto de 4%, o vendedor receberá R$ 96, isso 31 dias após a "venda a vista". A demora no pagamento implica em mais custo para o capital de giro. Além disso, os impostos incidem sobre o valor final da venda, ou seja, todos os R$ 100.

Muitas vezes os comerciantes repassam um desconto razoável no pagamento em dinheiro (mesmo sendo prática proibida contratualmente pelas operadoras). Na internet, onde as margens são mais baixas, a prática se repete no pagamento com boleto. Isso porque o boleto é um pagamento à vista de verdade. O dinheiro entra na conta da empresa na mesma noite do dia útil do pagamento. Outra vantagem é que não existe uma taxa de desconto, e sim uma tarifa fixa que é combinada com o banco. Dependendo do volume e da negociação, esta tarifa pode ser baixo de R$ 2,00. Quanto maior o valor do pagamento, maior fica a vantagem em custo sobre o cartão de crédito.

Para piorar esta situação, no Brasil e em poucos outros países, popularizou-se no comércio em geral algo que a VISA criou para agências de turismo: dividir em até 12 vezes por conta da loja (até 18 no caso da American Express). Se o recebimento em uma vez já aumenta o custo, imagine o estrago que são 12 vezes "sem acréscimos". O lado cruel é que todo este custo é obviamente repassado no preço do produto. Muitas empresas, com o intuido de reafirmar a política dos "sem juros" negam o desconto a vista. O problema é que contas simples não deixam dúvidas: para 12 vezes o aumento de custo é algo em torno de 20%, podendo ser MUITO mais de acordo do contrato de capital de giro que a empresa tiver. Equivale a um C.E.T. (Custo Efetivo Total) de mais de 42% ao ano que quem paga no final das contas é quem compra o produto desta forma!

Por este motivo são comuns sites que calculam o custo para ser recebido em 12 vezes no cartão, publicam este preço como "a vista" e permitem o pagamento de 12 parcelas iguais, supostamente sem juros. Depois oferecem descontos nas formas de pagamento menos custosas, normalmente o boleto. Algumas vezes esses descontos podem chegar a 15% para o pagamento em boleto e, acredite se quiser, dá praticamente na mesma para a loja! Entendo que essa forma de pagamento se popularizou porque, sem fazer as contas, parece interessante pagar R$ 1.200 em 12 vezes de R$ 100 "sem juros". Cabe no bolso! Mas não fica transparente para o consumidor que a compra poderia ter sido feita a vista por R$ 1.000 e que o CET da compra está alto.

A dica que fica é a mesma que você já deve ter ouvido dezenas de vezes: sempre que puder esperar, consuma quando tiver dinheiro para pagar a vista. Mas e se você quiser ou precisar da mercadoria JÁ e ainda não tem o dinheiro para pagar menos a vista? Uma saída pode ser pagar o boleto com o seu cartão de crédito. Se você sabe que terá o valor para pagamento integral da fatura no vencimento, pode valer muito a pena: você ganhará o desconto, o lojista receberá no mesmo dia e, dependendo do dia do vencimento da fatura, você pode ter 40 dias de prazo para pagar.

Hoje em dia a maioria dos emissores de cartão já oferecem esse serviço. Pelo serviço, a maioria cobra uma taxa bem menor que o desconto que você receberá. Dependendo do emissor do cartão, este serviço pode sair de graça ou ainda acumular pontuação no programa de fidelidade. Veja as condições aplicadas atualmente por emissores que permitem pagamento de boletos com o cartão de crédito:

EMISSOR CONDIÇÕES
Itaucard Juros de 1,99% ao mês calculado da data pagamento da conta até o vencimento da fatura
Unicard Tem 3 modelos, dependendo do cartão: sem tarifa, tarifa de 1,99% ou ainda tarifa de 1,99% com mínimo de R$ 2,00. Tabela com detalhamento das tarifas por tipo de cartão Unicard
MegaBônus R$ 3,50 por conta paga. Por tempo indeterminado, contas de até R$ 100,00 não geram tarifa
Banco do Brasil (Ourocard)
Tarifa de 2,5%, com mínimo de R$ 5,00
Fininvest sem tarifas e sem juros (eles orientam a checar com a central para saber se alguma tarifa será aplicada)
Hipercard sem tarifas e sem juros
Credicard 1,99% ao mês, proporcionais aos dias entre o pagamento da conta e o vencimento da fatura + R$1,00 por ficha
American Express
(emissão direta)
Taxa de serviço de 2% ou mínimo de R$ 5,00 sobre o valor de cada título.
Cartões Bradesco ?
Cartões Santander / Real Tarifa de 1,99% do valor
Aura Tarifa de R$ 2,99 por título. Valor máximo da conta a ser paga R$1.000
Losango Tarifa de R$ 2,99 por título. Valor máximo da conta a ser paga R$1.000

Esta tabela foi compilada inicialmente há mais de um ano. Você pode ajudar a mantê-la atualizada mandando as correções ou adições que quiser.

blog comments powered by Disqus